XVIII Congresso Brasileiro de Aterosclerose

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Associação da expressão sérica de miRNA com a camada íntima carotídea de pacientes hipertensos

Introdução

A hipertensão é um fator de risco para aterosclerose. Em estudo recente, nosso grupo demonstrou que a espessura da íntima (EIc) carotídea é um marcador mais preciso de aterosclerose do que a camada média (EMc) ou a íntima-média carotídea (EIMc) em indivíduos hipertensos. O objetivo deste estudo foi correlacionar a expressão de miRNAs com a espessura das camadas carotídeas em pacientes hipertensos.

Material e Método

Avaliamos, as características clínicas e carotídeas de 42 pacientes hipertensos acompanhados no Ambulatório de Hipertensão do Hospital de Clínicas da FCM-UNICAMP. Imagens de alta resolução das artérias carótidas comuns foram obtidas por ultrassonografia com transdutor de 10MHz e a EIc, EMc e EIMc foram medidas usando um software de processamento de imagem. Os pacientes foram divididos em dois grupos baseado na mediana (Grupo 1- < 0,254 mm e Grupo 2 ≥ 0,254 mm) da espessura da EIc. Usando o sistema TaqMan OpenArray, foi analisada a expressão de 754 miRNAs no soro de 42 pacientes hipertensos (idade: 63±9 anos, 69 % mulheres).

Resultados

Dentre os 754 miRNAs avaliados pelo sistema de OpenArray, 72 miRNAs apresentaram expressão, mas apenas 5 (miR-451, miR-106b, miR-195, miR-374 e miR-25) demonstraram aumento significante na expressão sérica, enquanto o miR-378 apresentou redução na expressão entre os pacientes com alta espessura da camada intima carotídea quando comparados aos pacientes com baixa espessura da camada intima. A análise de regressão multivariada mostrou associação entre a EIc e os miR-451 (r=0,470; p=0,002), miR-106b (r=0,367; p=0,028) e miR-195 (r= 0,495; p=0,003), mesmo após ajuste por sexo, idade, pressão arterial sistólica, índice de massa corpórea, diabetes mellitus, colesterol-LDL, tabagismo e uso de estatina. Não observamos correlação entre as demais camadas e os miRNAs estudados.

Discussão e Conclusões

A expressão dos miR-451, miR-106b, miR-195 está associada a maior espessura da EIc em uma amostra de pacientes hipertensos brasileiros. O presente estudo associa estes miRNAs com a camada intimal carotídea, sugerindo que estes miRNAs podem ter papel na aterogenese e como biomarcadores de desenvolvimento da aterosclerose em pacientes hipertensos.

Palavras Chave

microRNA, Intíma carotídea, Hipertensão.

Área

Pesquisa Clínica

Instituições

Unicamp - São Paulo - Brasil

Autores

EDUARDA OLIVIA ZECHETTI MININ, Layde Rosane Paim, Luís Felipe Carvalho-Romano, Edmilson R Marques, Otavio Rizzi Coelho Filho, Andrei C Sposito, José Roberto Matos-Souza, Roberto Schreiber, Wilson Nadruz