XVIII Congresso Brasileiro de Aterosclerose

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

DIABETES E DOENÇA RENAL CRONICA: PREVALENCIA, FATORES ASSOCIADOS E INFLUENCIA NO TRATAMENTO MEDICO OTIMIZADO DE PACIENTES COM DOENÇA ARTERIAL CORONARIANA

Introdução

Diabetes mellitus (DM) e doença renal crônica (DRC) são comorbidades de grande importância terapêutica e prognóstico em pacientes com doença arterial coronariana (DAC). O conhecimento sobre sua prevalência e fatores associados são necessários para o adequado manejo dessa população.

Material e Método

Trata-se de uma análise transversal de uma coorte de 869 pacientes inscritos em um registro DAC de um hospital terciário no Brasil. Para serem incluídos, os pacientes precisavam ter um procedimento de revascularização coronariano prévio (percutâneo ou cirúrgico), síndrome coronariana aguda prévia ou angina com estenose coronariana conhecida superior a 50%. A DRC foi definida como depuração de creatinina < 60 mL/min. DM foi definida como uso contínuo de hipoglicemiantes ou hemoglobina glicada > 6,5%.

Resultados

A média de idade foi de 64,7 anos, 261 (30%) eram mulheres, 528 (61%) tinham infarto do miocárdio prévio e 547 (63,4%) tinham um procedimento de revascularização prévio. DM foi diagnosticada em 449 (51,7%) pacientes e DRC em 280 (32,2%). Ambas as comorbidades eram concomitantes em 151 (17,4%) pacientes. Na análise multivariada, a DRC foi correlacionada ao sexo feminino (OR 2,94; IC 95%1,88-4,67), idade (OR 1,20; IC95%1,16-1,23), IMC (OR 0,80, IC95%0,76-0,84) e HDL-colesterol (OU 0,97; IC 95% 0,96-0,99). DM esteve associado à idade (OR 1,02, IC95% 1,00-1,04), IMC (OR 1,05, IC95%1,01-1,08), pressão alta (OU 2,1, IC95% 1,39-3,21) e frequência cardíaca (OR 1,02, IC95% 1,00-1,03). A presença concomitante de DRC e DM esteve associada à idade (OR 1,09, IC95%1,06-1,13) e fração de ejeção do ventrículo esquerdo (OR 0,97, IC 95% 0,95-0,98). Pacientes com DM eram mais propensos a receber inibidores da enzima conversora de angiotensina ou bloqueadores do receptor de angiotensina II (79,3% x 67,1%, p <0,001) e bloqueadores dos canais de cálcio (41,9% x 31,2%, p = 0,001). Pacientes com DM e DRC tiveram maior uso de nitratos (38,4% x 25,6%, p = 0,002). Não houve diferença na prescrição de medicamentos antitrombóticos, betabloqueadores ou estatinas entre os grupos.

Discussão e Conclusões

DM e DRC são comorbidades muito prevalentes em pacientes com DAC. Estão associados à idade e a outros fatores de risco, tais como pressão alta e fração de ejeção ventrícular esquerda reduzida. Apesar de serem tipicamente subtratados em outros registros, esse fato não foi observado em nossa população.

Palavras Chave

Doença arterial coronária, diabetes mellitus, doença renal crônica, tratamento medicamentoso

Área

Pesquisa Clínica

Instituições

Instituto do Coração HCFMUSP - São Paulo - Brasil

Autores

EDUARDO MARTELLI MOREIRA, Henrique Trombini Pinesi, Thiago de Assis Fischer Ramos, Carlos Alexandre Wainrober Segre, Desiderio Favarato, Fabio Grunspun Pitta, Cibele Larrosa Garzillo, Carlos Vicente Serrano Jr, Eduardo Gomes Lima