XVIII Congresso Brasileiro de Aterosclerose

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

O IMPACTO DOS PRODUTOS FINAIS DA GLICAÇAO AVANÇADA (AGES) NAS COMPLICAÇOES VASCULARES DO DIABETES: RESULTADOS DO BRAZILIAN DIABETES STUDY

Introdução

A polineuropatia diabética simétrica distal (PND) corresponde a uma importante complicação vascular do diabetes mellitus tipo 2 (DM2). A instalação dessa comorbidade é favorecida pelo acúmulo de produtos finais de glicação avançada (AGE) significativamente mais alto em indivíduos diabéticos. Porém, se baixos níveis de AGE previnem o desenvolvimento de PND ainda não está estabelecido. Nosso estudo teve como objetivo investigar o impacto dos níveis de AGE sobre a ausência de PND. 

Material e Método

Foram selecionados participantes do Brazilian Diabetes Study, coorte multicêntrica prospectiva de avaliação de complicações micro e macrovasculares em voluntários com DM2. A presença ou ausência de PND foi avaliada pelo Protocolo Michigan e o acúmulo de AGE foi avaliado por meio do teste de autofluorescência cutânea. Os participantes foram avaliados quanto a medidas de hemoglobina glicada (HbA1c) e perfil lipídico. Dados não-paramétricos foram analisados pelos testes de Mann-Whitney U; dados paramétricos foram analisados por ANOVA; dados categóricos foram avaliados por qui-quadrado. Foi calculada a regressão logística binária entre os grupos de PND para AGE e para HDL-C.  Análises estatísticas foram realizadas no SPSS 21.0. Um p-valor de <0,05 foi considerado significativo. 

Resultados

Um total de 769 participantes foram incluídos nesta análise. Quando comparados os grupos com presença ou ausência de PND, foram identificados valores inferiores para idade (mediana 56,6 [7,4] vs. 60,5 [6,9], p<0,001) e menor tempo de duração da DM2 em anos (mediana 7,89 [7,67] vs.,9,86 [11,04], p<0,001) nos indivíduos sem PND. Além disso, foram encontrados valores inferiores de AGE (média 2,52 [0,53] vs. 2,64 [0,61] p=0,033) e de HbA1c (mediana 7,4 [2,2] vs. 7,8 [2,3], p=0,002), além de valores superiores de HDL-C (mediana 39 [16] vs. 42 [15], p=0,043) nos pacientes sem PND, em relação aqueles que apresentam a doença. Indivíduos com altos níveis de HDL-C (<40mg/dL em homens; <50mg/dL em mulheres) apresentaram menor prevalência de PND (p<0,001), de mesma forma que os participantes com HbA1c < 6,5% (p<0,001). A autofluorescência de pele foi significativamente associada a presença de PND, após regressão logística (OR: 1.509, 95% IC: 1,056-2,157, p=0,024), assim como o HDL-C (OR:0,985, 95% IC: 0,971-0,999, p=0,39) e HbA1c (OR 1,147, 95% IC: 1,041-1,264, p=0,06). 

Discussão e Conclusões

Os indivíduos sem PND apresentaram valores reduzidos de AGE e HbA1c e níveis aumentados de HDL-C. Esses parâmetros, portanto, devem ser rigorosamente ajustados. 

Palavras Chave

Área

Pesquisa Clínica

Instituições

UNICAMP - São Paulo - Brasil

Autores

BEATRIZ MARTINELLI LUCHIARI, Íkaro Breder, Vaneza Waldow Wolf, Gil Guerra Júnior, Cynthia Borges, Rodrigo Bueno, Andrei Carvalho Sposito