XVIII Congresso Brasileiro de Aterosclerose

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

ACUMULO DE PRELAMINA A PROMOVE CALCIFICAÇAO VASCULAR EM PACIENTES AMPUTADOS COM DOENÇA ARTERIAL PERIFERICA

Introdução

A calcificação vascular (CV) é uma alteração fisiopatológica muito comum no envelhecimento e no paciente com diabetes mellitus (DM). CV aumenta a chance de amputação de membros inferiores em pacientes com doença arterial periférica (DAP). Apesar do envelhecimento estar relacionado a CV, tais mecanismos de sinalização que impactam na CV ainda são desconhecidos. Pacientes com síndrome de Hutchinson-Gilford, caracterizada por envelhecimento precoce e mutações nos genes LMNA, e/ou Zmpste24, os quais modificam o processamento da prelamina, culminam com acúmulo de prelamina A e CV precoce. Nosso objetivo é investigar se o acúmulo de prelamina A e defeitos no processamento da prelamina, assim como outros mecanismos do envelhecimento promovem a CV em artérias de pacientes amputados com DAP, associado ou não ao DM, comparativamente aos controles. 

Material e Método

Artérias foram coletadas de pacientes amputados por etiologia não vascular (Grupo controle, n=5), por DAP sem DM (Grupo DAP, n=5) e por DAP com DM (Grupo DAP+DM, n=5). Para a quantificação da CV foi utilizada a histoquímica de Alizarin Red S e, para a avaliação de prelamina A, lamina A/C e Zmpste24 analisamos imunofluorescência. Imagens foram quantificadas através do software ImageJ. Para a análise estatística utilizamos o teste de Modelos Lineares Generalizados e o teste de correlação de Pearson adotando  p<0,05 no software IBM SPSS 26.

Resultados

Houve maior CV nos grupos DAP (0,41±0,22) e DAP+DM (0,44±0,18) comparativamente ao grupo Controle (0,14±0,17), p<0,05. Adicionalmente, observamos maior expressão de Zmpste24 no grupo controle (0,45±0,21) comparado aos grupos DAP (0,23±0,13) e DAP+DM (0,24±0,21), p<0,05. Não houve diferença na expressão de prelamina A em pacientes Controle (0,11±0,10), DAP (0,25±0,20) e DAP+DM (0,30±0,16), assim como na lamina A/C nos pacientes Controle (0,01±0,01), DAP (0,01±0,006) e DAP+DM (0,01±0,005). Porém, quando avaliamos os dados integrados de todos os pacientes dos grupos citados, observamos forte correlação positiva entre a expressão prelamina A e CV (R=0,62; p=0,02) e uma forte correlação negativa entre a expressão de prelamina A e Zmpste24 (R=-0,72; p=0,01).

Discussão e Conclusões

Mecanismos de envelhecimento como acúmulo de prelamina A acompanharam aumento da CV, assim como a diminuição de Zmpste24 correlacionou com acúmulo de prelamina A na parede arterial. Tais achados denotam que mecanismos de envelhecimento celular promovem progressão da CV em pacientes com DAP, independente do DM.

Palavras Chave

Área

Pesquisa Básica

Instituições

Hospital Israelita Albert Einstein - São Paulo - Brasil

Autores

EDUARDO VAREJAO DIAZ PLACENCIA, Melissa Fessel, Elisangela Soares, Cynthia de Almeida Mendes, Alexandre Leme Godoy Santos, Tulio Diniz Fernandes, Marcel Liberman