XVIII Congresso Brasileiro de Aterosclerose

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

AVALIAÇAO DE ASPECTOS FUNCIONAIS DA LIPOPROTEINA DE ALTA DENSIDADE (HDL) EM FUMANTES SUBMETIDOS A TRATAMENTO DE CESSAÇAO DO TABAGISMO: ESTUDO PILOTO

Introdução

O tabagismo é considerado a maior causa de morte evitável e se caracteriza por dependência à nicotina, uma das mais de cinco mil substâncias do cigarro. Estima-se que, no mundo, ocorram aproximadamente 7 milhões de mortes associados ao consumo do cigarro. No Brasil, as políticas públicas anti-tabaco nos últimos trinta anos contribuíram para a redução do número de fumantes, de 15,7% em 2006 para 9,8% em 2019, mas ainda contamos com aproximadamente 18 milhões de fumantes. Além de ser um importante fator de risco para desenvolvimento e agravamento de doenças cardiovasculares, o tabagismo interfere em mecanismos que predispõem a aterosclerose. Em fumantes, colesterol da lipoproteina de alta densidade (HDL-colesterol) e apolipoproteina A-I (Apo A-I) estão reduzidos. O objetivo deste estudo piloto foi avaliar a funcionalidade da HDL em fumantes submetidos ao tratamento de cessação do tabagismo. 

Material e Método

Neste estudo piloto, foram incluídos 13 fumantes saudáveis que receberam tratamento, com Vareniclina e/ou Bupropiona por 12 semanas e técnica comportamental para parar de fumar, de um Programa de Tratamento do Tabagismo. A cessação do tabagismo foi confirmada pela medida do monóxido de carbono exalado (COex). Perfil lipídico, glicemia e questionários sobre tabagismo foram avaliados no período basal e após o tratamento do tabagismo. Foi realizada a avaliação das transferências de colesterol não esterificado e esterificado para a HDL por ensaio in vitro.

Resultados

Após 12 semanas de cessação do tabagismo (n=9), os níveis de HDL-colesterol e apolipoproteína A-I aumentaram significativamente (56±11 vs 63±16 mg/dL, p=0,03; 1,57±0,32 vs 1,73±0,38g/L, p=0,02, respectivamente). As transferências de colesterol esterificado (3,65±0,7 vs 3,97±0,7%, p=0,012) e não esterificado (3,93±1,1 vs. 4,39±1,1 % p= 0,027) estavam aumentadas nesses participantes. Entre os que não pararam de fumar (n=4), não foram observadas alterações nos valores de HDL-colesterol (72±26 vs 68±20 mg/dL, p=0,35), apolipoproteina A-I (1,73±0,33 vs 1,65±0,29, p=0,052), transferência de colesterol esterificado (3,53±0,4 vs 3,55±0,7%, p=0,95) e de colesterol não-esterificado (3,7±0,7 vs 4,11±0,9%, p=0,195). 

Discussão e Conclusões

Esses resultados preliminares sugerem que a cessação do tabagismo possa contribuir na funcionalidade da HDL, mecanismo que pode estar relacionado à melhora do risco cardiovascular em ex-fumantes. O aumento da amostra é fundamental para confirmação dos dados.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Palavras Chave

Cessação do tabagismo, HDL, Apo A-I, Colesterol esterificado, Colesterol livre, Tabagismo.

Área

Pesquisa Básica

Instituições

Instituto do Coração - InCor -HCFMUSP - São Paulo - Brasil

Autores

IANA ROSA ALVES DE MORAES, Fátima Rodrigues Freitas, Josefa Maria Hora Silva Lima, Tania Ogawa Abe, Patricia Viviane Gaya, Bianca Bellini Boura, Raul Cavalcante Maranhão, Jaqueline Ribeiro Scholz