XVIII Congresso Brasileiro de Aterosclerose

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

AUSENCIA DE ASSOCIAÇAO SIGNIFICATIVA ENTRE OS NIVEIS CIRCULANTES DE ADIPONECTINA E A VASODILATAÇAO VIA FMD

Introdução

Em pacientes com diabetes mellitus tipo 2 (DM2), a disfunção endotelial é um alvo inicial crítico para prevenir a aterosclerose. Evidências experimentais sugerem que adiponectina pode melhorar o papel antiaterogênico do endotélio, todavia estudos clínicos relacionando os níveis de adiponectina com a função endotelial em indivíduos diabéticos ainda são raros e limitados. Portanto, o presente ensaio clínico foi desenhado para investigar se há associação entre adiponectina circulante e vasodilatação via dilatação-fluxo mediada (FMD) em pacientes com DM2.

Material e Método

Este foi um estudo transversal utilizando dados do Brazilian Diabetes Study, uma coorte prospectiva em andamento com voluntários diabéticos. As dosagens de adiponectina foram realizadas pelo método de ELISA. A função endotelial foi avaliada via exame ultrassonográfico de dilatação-fluxo mediada (FMD) da artéria braquial. 

Resultados

Foram avaliados um total de 83 indivíduos diabéticos (60 (11) anos, 59% homens). A mediana de adiponectina foi de 11 (11) ug/mL e de FMD 1,9 (4,6)%. O gráfico de dispersão de adiponectina pelo FMD sugere que não há uma tendência a associação entre esses. Na análise de modelos de regressão entre FMD e Adiponectina, em todos os modelos testados, não observamos associações significantes para as análises de regressão linear [r2 = 0,007; p = 0,469; poder estatístico = 0,75], regressão logarítmica [r2 = 0,000; p = 0,951; poder estatístico = 0,97], regressão inversa [r2 = 0,006; p = 0,489; poder estatístico = 0,75], regressão quadrática [r2 = 0,067; p = 0,065; poder estatístico = 0,81] e regressão cúbica [r2 = 0,067; p = 0,142; poder estatístico = 0,91]. Além disso, avaliamos a associação de adiponectina entre os grupos de FMD alto e baixo e também entre FMD positivo (vasodilatação) e FMD negativo (vasoconstrição). A análise identificou que a adiponectina não foi significativamente associada aos grupos de FMD com vasodilatação vs. vasoconstrição (p = 0,182), assim como no FMD alto vs. baixo (p = 0,974). Resultados semelhantes foram observados quando analisado o HOMA-Adiponectina com FMD (p = 0,622; p = 294, respectivamente). 

Discussão e Conclusões

Foi encontrado uma ausência de associação significativa entre os níveis de adiponectina e a vasodilatação via FMD. Esse achado fornece novos insights sobre a adiponectina possivelmente não apresentar os benefícios esperados na vasodilatação quando se trata de populações diabéticas, bem como a função endotelial já prejudicada nesses indivíduos pode estar subjacentes a qualquer fator de melhora. 

Palavras Chave

Adiponectina; vasodilatação; FMD; disfunção endotelial

Área

Pesquisa Clínica

Instituições

UNICAMP - São Paulo - Brasil

Autores

BEATRIZ MARTINELLI LUCHIARI, Íkaro Breder, Vaneza Wadow Wolf, Isabella Bonilha, Camila Moreira, José Carlos Junior, Andrei Carvalho Sposito